Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Mourão diz que indígena se abastece da água dos rios 

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O vice-presidente Hamilton Mourão não se comprometeu com o combate ao garimpo ilegal e defendeu que o indígena seja “mais integrado” à sociedade nesta quinta-feira, 9. Cobrado por investidores estrangeiros sobre a preservação dos direitos da população indígena em reunião de representantes do governo, Mourão admitiu que é responsabilidade do governo atender aos povos tradicionais, mas atenuou a gravidade do veto do presidente Jair Bolsonaro a obrigações do Poder Público com os povos indígenas durante a pandemia.

O vice-presidente Hamilton Mourão em coletiva nesta quinta

O vice-presidente Hamilton Mourão em coletiva nesta quinta Foto: Reprodução/TV BrasilGov

O vice-presidente afirmou que “o indígena se abastece da água dos rios que estão na sua região”, mas admitiu que muitas vezes há contaminação justamente devido a presença do garimpo ilegal. “Se, porventura, algum rio daquele foi contaminado por atividade ilegal, notadamente garimpo, com uso de mercúrio, se leva água para esses grupos”, disse. Na quarta, Bolsonaro vetou trechos da lei sobre combate ao coronavírus em comunidades tradicionais que versavam sobre a garantia ao acesso universal à água potável, distribuição gratuita de materiais de higiene, de limpeza e de desinfecção das aldeias, e oferta de leitos hospitalares e de unidade de terapia intensiva (UTI), ventiladores e máquinas de oxigenação sanguínea.

Sobre o garimpo em terras indígenas, Mourão afirmou que seria uma tarefa “hercúlea” bloquear o território indígena para impedir “a entrada de gente”. “Se nós vamos ter que bloquear a entrada, também vamos ter que bloquear a saída”, afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:

Hamilton Mourãoindígenagarimpoveto