Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Mourão é ponte entre Brasil e China

Equipe BR Político

O presidente em exercício, Hamilton Mourão, que no governo já foi escalado para resolver situações de mal estar entre o Brasil e a China, disse na manhã desta segunda-feira, 9, que o mundo acompanha com “apreensão” a escalada das barreiras tarifárias e o aumento do risco de recessão global pelo conflito entre o país asiático e os Estados Unidos.

O vice-presidente Hamilton Mourão gesticula durante entrevista

O vice-presidente Hamilton Mourão gesticula durante entrevista. Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

Em discurso durante cerimônia de 15 anos do Conselho Empresarial Brasil-China (CEBC), em São Paulo , ele disse que qualquer ganho de curto prazo que o Brasil está tendo com o conflito pode ficar comprometido com a desaceleração global. “Sabemos que ganhos de curto prazo para o Brasil, como a demanda por soja, podem ficar comprometidos pela redução global da atividade econômica”, afirmou. Mourão disse também que o Brasil quer diversificar as exportações à China. Segundo ele, ir além das vendas de produtos de baixo valor agregado – como soja e minério – é um “desafio persistente” do País.

Logo mais, Brasil e China terão duas oportunidades para tentar estreitar a relação que Mourão tanto quer. Isso porque, o presidente Jair Bolsonaro deve realizar uma visita oficial ao país no final de outubro, enquanto o presidente da China, Xi Jinping, é esperado no Brasil para a cúpula de chefes de Estado dos BRICS (Brasil, Rússia, Índia, a China e a África do Sul) de novembro. No entanto, há risco de que a adoração do presidente brasileiro pelo chefe de Estado dos EUA, Donald Trump, seja um empecilho para a melhora da relação com os chineses.

Tudo o que sabemos sobre:

Hamilton MourãoChinaBrasil