Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Mourão reclama que Brasil sofre com ‘barreiras comerciais injustificáveis’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Enquanto tenta vender a imagem de que o Brasil está fazendo a lição de casa na agenda ambiental, o vice-presidente Hamilton Mourão reclamou nesta segunda-feira, 10, que o País tem sofrido “barreiras comercias injustificáveis”. A declaração foi feita durante discurso no II Encontro Ibero-Americano da Agenda 2030 no Poder Judiciário, realizado pelo virtualmente pelo Conselho Nacional de Justiça.

Vice-presidente Hamilton Mourão. Foto: Reprodução/Youtube

Mourão abriu a fala dizendo que “a sustentabilidade tornou-se elemento essencial do pacto de gerações deste século 21” e seguiu reforçando o discurso que tem feito de proteção à Amazônia. Ele afirmou que o governo “não nega nem esconde” dados referentes aos desmatamento e às queimadas na floresta e que por isso o País não aceita “narrativas simplistas e enviesadas” sobre a política ambiental.

Nos últimos meses, produtos brasileiros têm sido boicotados por outros países, principalmente na Europa, por conta da política ambiental boslonarista.

Ele disse, ainda, que o sucesso dos exportadores brasileiros do agronegócio depende da confiança dos mercados internacionais, e que o aumento de crimes ambientais deixa o País “vulnerável” para uma campanha “difamatória” no exterior, com barreiras comerciais que classificou como “injustificáveis”.

O vice também indicou preocupação com a possível imposição de medidas protecionistas ao Brasil pela postura do País durante a pandemia e um receio “ainda maior” com as tensões entre China e Estados Unidos.

“No plano externo, nos preocupa que a crise gerada pela pandemia seja utilizada como justificativa para a imposição de medidas protecionistas. Acompanhamos, com receio ainda maior, o acúmulo de tensões entre as duas principais potências econômicas do Planeta e seus possíveis efeitos desestabilizadores sobre o sistema internacional”, emendou.