Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Mourão sai em defesa de Ustra: ‘Respeitava os direitos humanos’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, defendeu, em entrevista ao jornal alemão Deutsche Welle, o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, condenado por tortura na ditadura militar. Na avaliação feita pelo vice do presidente Jair Bolsonaro, Ustra “era um homem de honra” e que “respeitava os direitos humanos de seus subordinados”.

O vice-presidente, Hamilton Mourão, em audiência do Senado nesta terça

O vice-presidente, Hamilton Mourão, em audiência do Senado nesta terça Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Ao ser perguntado se compartilhava da idolatria do presidente Bolsonaro por Ustra, Mourão respondeu: “O que posso dizer sobre o homem Carlos Alberto Brilhante Ustra, ele foi meu comandante no final dos anos 70 do século passado, e era um homem de honra e um homem que respeitava os direitos humanos de seus subordinados. Então, muitas das coisas que as pessoas falam dele, eu posso te contar, porque eu tinha uma amizade muito próxima com esse homem, isso não é verdade”, disse.

Em outro trecho, Mourão afirmou não concordar com a “tortura”.

“Em primeiro lugar, não estou alinhado com a tortura, e, claro, muitas pessoas ainda estão vivas daquela época, e todas querem colocar as coisas da maneira que viram. É por isso que eu disse antes que temos que esperar que todos esses atores desapareçam para que a história faça sua parte. E, claro, o que realmente aconteceu durante esse período … esse período passou”, disse.

Segundo ele, o País não corre o risco de sofrer um novo golpe militar.

“Bem, isso faz parte da discussão sobre a polarização na política que temos. Ok, são mais palavras do que ações, porque você não vai citar uma única ação do governo Bolsonaro que tenha sido uma ameaça real à democracia aqui no Brasil.