Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Movimento ligado a Maia lança vídeo sobre desigualdade

Vera Magalhães

O canal Brasil em Movimento, lançado por partidos do centro que gravitam em torno do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, divulga nesta segunda-feira um vídeo para debater a desigualdade social, foco de agenda lançada pela Casa no último mês.

O vídeo, intitulado “Desigualdade: a solução não está nos extremos”, é o primeiro episódio de uma série que deve debater temas em discussão na Câmara. A desigualdade social é apresentada como um problema complexo, para o qual direita e esquerda costumam acenar com soluções simples. “O que fazem os extremas diante do aumento da desigualdade? Batem boca na internet. O por acaso brigar nas redes sociais resolve o problema? Um lado faz do mercado um Deus supremo. Para esse lado, o Estado é primo-irmão da pobreza, e onde há Estado a miséria se perpetua”, diz o vídeo. “O outra lado acha que o mercado é o vizinho da pobreza, e que só o Estado pode promover a igualdade de oportunidades”, continua.

O grupo propõe que “entre um extremo e outro, há um caminho do meio”. “Se você acredita que a solução está no centro, você não está sozinho. Aguarde”, diz a peça. O grupo já lançou um manifesto e tem usado o canal de vídeo como uma plataforma de divulgação de conteúdo e para fomentar na sociedade a discussão para além da polarização direita bolsonarista x esquerda lulista, que dominou as eleições de 2018 e voltou à cena após a soltura de Lula.

Maia é a face mais visível do grupo, o que fez crescer no entorno de Jair Bolsonaro a percepção de que o presidente da Câmara é um virtual candidato a 2022. Ele também tem intensificado sua agenda internacional e tem usado a pauta da Casa que preside para colocar temas nacionais em debate, da economia à desigualdade, passando por infra-estrutura e segurança.

O vídeo sobre desigualdade reúne depoimentos de deputados de vários partidos, que participaram da agenda social da Câmara, e economistas como Ricardo Paes de Barros, autor de estudos sobre o assunto.

O tal centro, no entanto, ameaça ficar superpovoado. Em movimentos paralelos, o apresentador Luciano Huck e o governador de São Paulo, João Doria Jr., também se movimentam para ocupar essa raia na disputa presidencial de daqui a três anos. A aposta é que os três podem se compor mais adiante, com maia sendo vice de um dos outros dois.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Rodrigo Maiadesigualdadecentrocâmara