Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Movimento pede bloqueio de anúncios em páginas de fake news

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O movimento Sleeping Giants comemora o apoio empresarial que tem colhido no Brasil contra anúncios online de empresas em sites associados a notícias falsas. Conforme já adiantou o El País, trata-se de um perfil criado há quatro anos nos EUA no Twitter para alertar anunciantes de que a publicidade de seus produtos surgia em páginas de extrema-direita. O site ultraconservador Breitbart News, por exemplo, antes ligado ao marqueteiro Steve Bannon, ex-conselheiro de Donald Trump, perdeu nessa campanha R$ 50,7 milhões. Aqui no Brasil, o perfil nacional agradeceu o apoio da Fast Shop e hoje pede atenção à Caixa Econômica Federal, cujo anúncio foi parar numa página de fake news.

“Oii @Caixa, tudo bem? Realmente é importante um banco público dispor de um financiamento facilitado, mas acreditamos que o @rai10oficial não irá gostar de saber que está aparecendo em um site famoso por divulgar Fake News! Pls BLOQUEIE!”, escreveu hoje na rede.

Os anúncios aparecem nessas páginas por meio da chamada mídia programática, serviço oferecido pelo Google e Facebook em que a compra do espaço é direcionada de acordo com informações de usuários na internet.

Quem também se deu conta da veiculação sem filtro programática foi o Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul, que ordenou a exclusão de anúncio publicitário da Corte que tem sido veiculado no site de viés bolsonarista Jornal da Cidade Online, acusado de difundir conteúdos falsos ou enganosos e usar perfis apócrifos para atacar políticos e magistrados brasileiros. Ao menos oito publicações do site foram desmentidas pelo Estadão Verifica, núcleo de fact-checking do Estadão.

Tudo o que sabemos sobre:

Sleeping Giants Brasilfake newsanúncio