Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

MP classifica mortes em Paraisópolis como homicídios

Vera Magalhães

O Ministério Público vai investigar como homicídios as mortes de nove pessoas num baile funk no último fim de semana na favela paulistana de Paraisópolis. Os nove jovens teriam morrido pisoteados depois que policiais militares invadiram o fluxo e dispersaram as pessoas com o uso de gás lacrimogênio e cassetetes. A Polícia Militar argumenta que os policiais perseguiam dois suspeitos e não ocasionou as mortes, mas abriu procedimento para investigar o que ocorreu.

“Designei a promotora do júri para fazer a apuração a respeito dos homicídios que ocorreram em Paraisópolis”, disse o procurador-geral de Justiça, Gianpaolo Smanio, ao jornal Agora São Paulo. “Ela vai acompanhar as investigações.”

Reportagem do Estadão mostra que, depois das mortes em Paraisópolis, o MP vai propor a mudança no protocolo de intervenção da PM. Smanio afirma ao jornal que a mudança será discutida pelo órgão com o governo do Estado.