Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

MP da Liberdade Econômica permite ‘foco no que é essencial’

Equipe BR Político

A medida provisória da Liberdade Econômica, assinada na última terça-feira, foi vendida pelo governo como uma ação para “tirar o Estado do cangote” dos empreendedores. Seus primeiros impactos em termos de crescimento e geração de empregos deverá ser visto em dois meses, mas os resultados significativos devem chegar em um ano. A previsão é do secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, Paulo Uebel.

Em entrevista à revista Época, ele afirma que a medida vai facilitar a abertura de negócios de baixo risco e permitir que o poder público possa se concentrar no controle e fiscalização do que realmente pode virar um problema sério, como barragens ou a boate Kiss, onde 242 jovens morreram num incêndio em 2013. “O objetivo da MP é estabelecer limites para o governo realmente focar naquilo que é essencial”, disse.