Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

MP: Mulher de Queiroz participou do desvio de R$ 1,1 milhão da Alerj

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

De acordo com a denúncia apresentada pelo Ministério Público, a mulher do ex-assessor Fabrício Queiroz, Márcia Aguiar, ajudou a desviar R$ 1,1 milhão da Assembleia Legislativa do Rio no esquema das “rachadinhas” que funcionava no gabinete do então deputado estadual, hoje senador Flávio Bolsonaro (Republicanos), informou o Estadão.

A mulher de Fabrício Queiroz, Márcia Aguiar, ao se apresentar à Justiça para colocar sua tornozeleira eletrônica e cumprir prisão domiciliar. Foto: Wilton Júnior / Estadão

O MP coloca Márcia no chamado núcleo executivo das rachadinhas, formado por servidores fantasmas do gabinete de Flávio na Alerj. A partir das contas dela, os investigadores descobriram seis cheques no total de R$ 17 mil, depositados em favor da primeira-dama, Michelle Bolsonaro. A denúncia não menciona os repasses à mulher do presidente Jair Bolsonaro.

Ao todo, o chamado núcleo executivo faturou R$ 6,1 milhões da Assembleia Legislativa, dos quais R$ 2,079 milhões foram repassados diretamente a Queiroz. Márcia, segundo o MP, ajudou a desviar R$ 1,1 milhão dos cofres públicos e as estimativas apontam que R$ 868 mil foram para a organização criminosa das ‘rachadinhas’.

Márcia foi alvo de prisão preventiva em julho, mas não foi encontrada pela Polícia e ficou foragida até ser beneficiada por liminar do STJ que mudava a prisão para domiciliar para ela e o marido.

Foi nas contas de Márcia que a investigação também descobriu seis cheques depositados em favor da primeira-dama Michelle Bolsonaro. As transações totalizam R$ 17 mil e ocorreram em 2011 – a denúncia oferecida contra Márcia, porém, não menciona os repasses à mulher do presidente.

As transações foram divididas das seguintes formas:

1) – R$ 220 mil em 43 débitos na conta bancária de Márcia em benefício de Queiroz, que recebeu os valores como depósitos
2) – R$ 93 mil por intermédio de 20 operações identificadas pela correspondência exata de datas e valores que foram sacados da conta de Márcia e depositados na conta de Queiroz
3) – R$ 131 mil transferidos diretamente da conta de Márcia para Queiroz

Defesa

Os advogados de Flávio Bolsonaro classificaram, por meio de nota, a denúncia do MP como uma “crônica macabra e mal engendrada” e afirmando que “todos os defeitos de forma e de fundo”da denúncia serão pontuados na formalização da defesa.

Também por meio de nota, a defesa de Fabrício Queiroz disse que: “A defesa de Fabrício Queiroz tomou conhecimento da notícia do oferecimento de denúncia pelo MPRJ, sem, no entanto, ter tido acesso ao seu conteúdo. Inaugura-se a instância judicial, momento em que será possível exercer o contraditório defensivo, com a impugnação das provas acusatórias e produção de contraprovas que demonstrarão a improcedência das acusações e, logo, a sua inocência”.