Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

MP pede que Caixa tome medidas contra coronavírus

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Depois de denúncias de aglomeração em filas da Caixa Econômica Federal, o Ministério Público Federal recomendou ao banco que implemente medidas em agências e casas lotéricas da Baixada Santista, no litoral paulista, para reduzir o risco de disseminação do coronavírus. O banco é o principal meio de distribuição da renda básica emergencial de R$ 600 que o governo fornece para informais no período da pandemia.

Entre recomendações está organização das filas com distância mínima de dois metros entre as pessoas

Entre recomendações está organização das filas com distância mínima de dois metros entre as pessoas Foto: Dida Sampaio/Estadão

“Essa situação pode se agravar porque os beneficiários do auxílio emergencial, criado pelo governo federal, irão se somar aos clientes regulares da Caixa e das lotéricas”, diz o informe do MP. As prefeituras de Bertioga, Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Peruíbe, Praia Grande, Santos e São Vicente também receberam o documento que dá cinco dias à Caixa para implementar as medidas.

Entre as recomendações estão a limitação do número de clientes no interior das casas lotéricas e agências, inclusive nas áreas de autoatendimento em caixas eletrônicos, organização das filas dentro e fora do estabelecimento com distância mínima de dois metros entre as pessoas e prioridade de atendimento de idosos e pessoas dos grupos de risco, como cardíacos e diabéticos. O MP informou também que, se necessário, as agências e lotéricas podem abrir uma hora mais cedo, no mínimo, para realizar o atendimento prioritário e distribuir senhas com hora marcada. Além dos protocolos de atendimento, o órgão determinou que álcool gel 70% deve ser oferecido gratuitamente para os clientes.

Tudo o que sabemos sobre:

CaixaMPFcoronavírus