Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

MPF pede afastamento de Salles do Ministério do Meio Ambiente

Gustavo Zucchi

Exclusivo para assinantes

O Ministério Público Federal (MPF) informou que entrou com uma ação contra o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. 12 procuradores da República pedem o afastamento de Salles em caráter urgente (liminar), acusando-o de improbidade administrativa. Na ação, o MPF afirma que o ministro desestruturou dolosamente as estruturas de proteção ambientais.

O ministros do Meio Ambiente, Ricardo Salles

O ministros do Meio Ambiente, Ricardo Salles Foto: Adriano Machado/Reuters

“É possível identificar, nas medidas adotadas, o alinhamento a um conjunto de atos que atendem, sem qualquer justificativa, a uma lógica totalmente contrária ao dever estatal de implementação dos direitos ambientais, o que se faz bastante explícito, por exemplo, na exoneração de servidores logo após uma fiscalização ambiental bem sucedida em um dos pontos críticos do desmatamento na Amazônia Legal”, diz a ação judicial.

A ação também se baseia nas declarações de Salles na polêmica reunião ministerial do dia 22 de abril. Na ocasião, o ministro afirmou que o governo deveria aproveitar a pandemia para “passar a boiada”. “As declarações apenas expõem, de forma clara, o que diversos atos já confirmavam: existe um verdadeiro encadeamento premeditado de atuar contrário à proteção ambiental, caracterizando o dolo, elemento subjetivo dos atos de improbidade”, dizem os procuradores. Além do afastamento e possível perda do cargo, os procuradores querem que Salles perca os diretos políticos por cinco anos e seja obrigado a pagar multa