Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

MS anuncia que recebeu estudo para ampliar validade de testes encalhados

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O Ministério da Saúde informou nesta quarta-feira, 25, que recebeu estudos para ampliar a validade dos cerca de 7 milhões de testes da covid-19 estocados, a maioria com prazo de validade entre dezembro e janeiro. A avaliação é por uma prorrogação de 12 meses da data de validade, mas depende de aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

O secretário nacional de Vigilância Sanitária, Arnaldo Medeiros, informou que o estudo conduzido pela fabricante dos testes, o laboratório coreano Seegene, chegou hoje em audiência pública na Câmara dos Deputados. Segundo ele, o prazo de validade era apenas “cartorial”, estipulado pela Anvisa para a entrada emergencial do produto no País. A diretora da agência Cristiane Gomes afirmou, no entanto, que o prazo de validade foi dado pela própria empresa. A Anvisa informou que avaliará o pedido de extenção do prazo, porém ainda não recebeu a solicitação do Ministério da Saúde.

Na audiência, o secretário não explicou a realização de testes pelo SUS abaixo da meta para o ano. Medeiros informou que foram feitos somente 7,2 milhões de testes. A meta era de mais de 24 milhões de exames até dezembro. Também não deu motivo para a entrega de reagentes para extração do RNA, insumo necessário para realizar a amostra laboratorial, abaixo do necessário. A pasta enviou aos Estados cerca de 9,3 milhões de testes RT-PCR, mas apenas 3 milhões de reagentes de extração de RNA.

Tudo o que sabemos sobre:

Ministério da SaúdetestesCovid-19