Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Na largada para eleição, Lira pode chegar a 210 deputados aliados

Gustavo Zucchi

Exclusivo para assinantes

O deputado Arthur Lira (PP-AL) anunciou na quarta-feira, 10, um bloco com sete partidos, além do Progressistas, que apoiam sua candidatura à presidência da Câmara. O PP tem 40 deputados, mas pode ficar dividido caso Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) saia candidato. Ao lado dele tem o PL (41 parlamentares), PSD (33), Solidariedade (13), Pros (10), PSC (9), Avante (8), e Patriota (6). Ainda há a promessa do PTB (11) se unir em breve ao grupo. Seriam 171 deputados.

O líder do Centrão na Câmara, Arthur Lira

O líder do Centrão na Câmara, Arthur Lira Foto: Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados

Pelas contas de parlamentares, Lira ainda deve ter parte da ala bolsonarista do PSL, algo por volta de 15 a 20 deputados. O PSB deu um indicativo de apoio, com 18 dos 30 deputados do partido se colocando a favor de Lira. Isso daria cerca de 210 votos para o candidato governista, desconsiderando a provável divisão do PP.

Para se eleger presidente da Casa, um candidato precisa de 257 votos. Para efeito de comparação, Maia teve 334 votos em sua vitória em fevereiro de 2019. O atual presidente da Câmara tem hoje o apoio do DEM (28 deputados), PSDB (31), MDB (35), Cidadania (8) e PV (4). Ainda integra o bloco o PSL, que não deve entregar todos os votos. São 146 parlamentares nestes partidos. Maia precisará conquistar bancadas de oposição e o Republicanos de Marcos Pereira, que deseja se lançar candidato.  Para isso, terá a difícil missão de escolher o nome que agrade de tucanos a petistas.