Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Marco Aurélio recusa ‘simplesmente herdar’ inquérito contra Bolsonaro

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello afirmou nesta segunda-feira, 21, que não pretende herdar o inquérito que apura a suposta interferência indevida do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal. “Ante a urgência de todo e qualquer inquérito, de todo e qualquer processo-crime, há de ser distribuído (a outro ministro). Não aceito simplesmente herdar”, disse ao Estadão.

O ministro do STF Marco Aurélio Mello

O ministro do STF Marco Aurélio Mello Foto: Dida Sampaio/Estadão

Marco Aurélio era cotado para assumir a investigação na Corte quando o relator do caso, decano Celso de Mello, deixar o posto por aposentadoria compulsória, em novembro. O magistrado está temporariamente à frente do inquérito enquanto Celso de Mello se recupera de uma cirurgia. O ministro suspendeu as investigações na quinta para que o plenário do Supremo possa avaliar o pedido de Bolsonaro de depor por escrito à PF que contesta a decisão de Celso de Mello de que o depoimento do presidente ocorra presencialmente.

A aproximação da saída do decano tem esquentado as discussões sobre quem deve assumir o inquérito. Se não for distribuído a outro ministro da Corte, a investigação corre o risco de cair nas mãos do novo ministro, que será indicado por Bolsonaro à vaga. O regimento interno do STF prevê que, em caso de aposentadoria do relator, o processo é herdado pelo ministro que assume a vaga. Por atingir diretamente o presidente, a questão divide integrantes do tribunal.