Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Não precisamos reduzir, mas parar emissões de CO2, diz Greta

Equipe BR Político

Em um painel sobre mudanças climáticas, assunto que ganhou o protagonismo do Fórum Econômico Mundial em 2020, a ativista sueca Greta Thunberg disse nesta terça-feira, 21, que “ideologias políticas e estruturas econômicas não foram capazes de enfrentar as emergências climáticas e criar um mundo sustentável”. Durante o discurso, a jovem de 17 anos afirmou que uma economia de baixo carbono não será suficiente se quisermos tentar atingir a meta de limitar o aumento da temperatura global a 1,5 °C. 

“Sejamos claros. Não precisamos de uma ‘economia de baixo carbono’. Não precisamos ‘reduzir as emissões’. Nossas emissões precisam parar”, afirmou. Segundo ela, se não pararem as emissões completamente, líderes mundiais estariam desistindo de mitigar as mudanças climáticas “sem nem tentar.”

“Isso não é sobre direita ou esquerda. Não ligamos para sua política partidária. Da perspectiva sustentável, a direita, a esquerda e o centro também, todos falharam. Nenhuma ideologia política ou estrutura econômica foi capaz de suprir as emergências climáticas e ambientais e criar um mundo coeso e sustentável. Porque esse mundo, caso não tenham notado, está em chamas”, disse durante o discurso no painel “Evitando um Apocalipse Climático”. 

O painel também teve a presença do ambientalista chinês e diretor da ONG Instituto de Assuntos Públicos e Ambientais Ma Jun, da editora do New York Times Rebecca Blumenstein, da geógrafa, ativista e coordenadora da Afpat (Associação de Mulheres Peúles e Povos Autótones do Chade) Hindou Omarou Ibrahim, do CEO da Allianz, Oliver Bäte, e do presidente da Fundação Rockefeller, Rajiv Shah.

O Fórum Econômico Mundial teve seu painel de abertura na segunda-feira, 20, e ocorre até esta sexta-feira, 24, em Davos, na Suíça.