Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Nem frio nem hambúrguer na Embaixada

Equipe BR Político

Se realmente for indicado ao cargo de embaixador do Brasil em Washington, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, não vai precisar usar sua habilidade para fritar hambúrgueres. Vai, muito menos, precisar passar frio como nos tempos de intercâmbio no Maine. É isso que mostra a reportagem do Estadão deste domingo, 14, que detalha a Embaixada do Brasil nos EUA e mostra que o embaixador tem a seu dispor uma equipe de funcionários, coordenados pelo mordomo Davi, que inclui cozinheiros, copeiro e motorista.

A residência que fica na no número 3000 da avenida Massachusetts, em Washington, prevê espaço para abrigar comitivas que visitam a cidade – seja a viagem do presidente, de ministros, de governadores ou de parlamentares. A rotina de trabalho depende do perfil do embaixador. A aposta é de que, se Eduardo for confirmado para o cargo, o caráter político das atividades vai prevalecer. Fazem parte do dia a dia a relação com o Congresso americano e com o empresariado dos dois países, a ponte com políticos brasileiros, as negociações com braços do governo e a participação em eventos, além da realização de almoços, jantares e cerimônias.