Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Rio tem uma morte confirmada e outra à espera de resultado

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Com quatro mortes confirmadas por coronavírus em São Paulo, o prefeito de Niterói (RJ), Rodrigo Neves (PDT), confirmou que o primeiro exame do idoso que morreu na terça-feira à noite no Hospital Icaraí apontou o novo coronavírus. Agora, será feita a contraprova.

No município de Miguel Pereira, no Sul Fluminense, a prefeitura confirmou que a paciente de 63 anos que morreu na terça-feira, 17, estava com o covid-19. A morte da empregada doméstica foi a primeira registrada do Estado do Rio pela doença. Ela era diabética e hipertensa e apresentou os sintomas no dia 15 depois de ter contato direto com sua empregadora, que chegou da Itália e testou positivo para o coronavírus.

O paciente de Niterói, de 69 anos, morreu, segundo nota do hospital, por choque séptico e pneumonia. A viúva dele está internada no mesmo hospital e seu estado de saúde é estável. Em comum, as vítimas de São Paulo e Niterói eram homens com idades acima de 60 anos e tinham doenças pré-existentes.

Primeira morte registrada no Rio foi de uma empregada doméstica em Miguel Pereira

Primeira morte registrada no Rio foi de uma empregada doméstica em Miguel Pereira Foto: Adriano Machado/Reuters

De acordo com balanço do Ministério da Saúde de quarta-feira, 18, subiu para 428 o número de casos de infecção pelo coronavírus no País. É o maior aumento absoluto observado até agora desde que o surto teve início. Em 24 horas, foram 137 novos registros contabilizados pelo governo federal, crescimento de 47%, informa o Estadão.