Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

No Rio, STF e Congresso como principais alvos de atos

Equipe BR Político

O Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal foram os principais alvos do ato de apoio ao ministro Sérgio Moro e ao governo Bolsonaro realizado neste domingo, 30, na orla de Copacabana, no Rio. As acusações do site The Intercept Brasil foram minimizadas pelos participantes, como fez o técnico em segurança do trabalho Henrique Andrade, informa o Estadão: “O fim justificam os meios, meu pai me falava desde que eu era pequeno que não tinha ninguém no Brasil para prender os corruptos, e o Moro foi lá e fez”, afirmou Andrade sobre as suspeitas de que Moro teria coordenado o trabalho do Ministério Público ao longo das investigações da Operação Lava Jato.

Muitos manifestantes abordados pela reportagem se recusaram a dar declarações, afirmando que os jornalistas deturpam tudo o que o governo fala. Poucos se dispuseram a falar, e mesmo assim, os que falaram demonstravam estar bastante desconfiados. Na conta do Congresso, o mais atacado era Rodrigo Maia, criticado pelos bolsonaristas por não apoiar projetos como o da posse de armas, a redução da maioridade penal, e acusado de querer manter a “mamata” dos parlamentares. De acordo com um dos coordenadores do MBL, Carlos Eduardo Moraes, o evento tem por objetivo chamar também a atenção para a necessidade da aprovação da reforma da Previdência, além de apoio ao decreto das armas e a redução da maioridade penal.

Tudo o que sabemos sobre:

previdênciaMBLInterceptsergio moroSTF