Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

No STF contra juiz de garantias

Equipe BR Político

Partidos como Cidadania e entidades como a Associação dos Magistrados Brasileiros devem aguardar a “troca da guarda” no STF para pedir liminares sustando a criação da figura do juiz de garantias, informa o Painel da Folha. Devem ser impetradas várias ações de inconstitucionalidade contra a medida, incluída na lei anticrime pela esquerda e sancionada por Jair Bolsonaro à revelia de Sérgio Moro.

A estratégia é evitar que as liminares sejam analisadas por Dias Toffoli, que comanda o plantão do STF até o dia 19 de janeiro. Ele será substituído no comando das férias pelo vice-presidente do tribunal, Luiz Fux, que, por ser favorável à Lava Jato e ter origem na magistratura, é considerado um voto contra a criação do juiz de garantias.

Parlamentares contrários à medida estão bombardeando nas redes sociais o fato de Bolsonaro ter pedido aval a Toffoli para sancionar o instituto. O senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) chamou a “parceria Bolsonaro-Toffoli” de “escândalo” no Twitter.