Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Nomeações e suspensões relâmpago na Cultura

Equipe BR Político

Uma semana após decisão da Justiça do Ceará, o governo também suspendeu a nomeação do ativista de direita Sérgio Nascimento de Camargo para a presidência da Fundação Cultural Palmares, responsável pela promoção da cultura afro-brasileira. A suspensão foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União de quarta-feira, 11.

A indicação de Camargo para o cargo gerou uma onda de críticas por parte dos movimentos sociais e políticos. Entre outros motivos, pelo fato de ele negar a existência do racismo no Brasil, atacar as cotas raciais e afirmar que a “escravidão foi benéfica para seus descendentes”.

Na mesma edição do DOU, também foi suspensa a nomeação da arquiteta Luciana Rocha Féres para o cargo de presidente do Iphan. De perfil técnico, a indicação havia sido publicada no DOU na manhã de ontem. O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, titular da pasta sob a qual está a Secretaria de Cultura, a que o Iphan é vinculado, foi o responsável pela indicação.