Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Novo como único partido contra regra pró-policiais

Equipe BR Político

O Novo foi o único partido que se posicionou contra o abrandamento de regras previdenciárias aplicadas a policiais em votação na madrugada desta sexta, 12, na Câmara. Policiais federais, policiais civis do Distrito Federal e agentes penitenciários e socioeducativos federais poderão se aposentar com idade mínima de 52 anos para mulheres e de 53 anos para homens. Isso desde que eles cumpram a regra de pedágio de 100% do tempo de contribuição que faltar para se aposentar. Ou seja, vão precisar trabalhar o dobro do tempo que falta para se aposentar. As alterações para policiais foram feitas por meio de uma emenda aglutinativa apresentada pela bancada do Podemos.

“Por mais que tenhamos apreço aos policiais, não é dando tal benefício que vamos valorizar a categoria. E não acreditamos em aumentar ainda mais benefícios de categorias especiais”, afirmou o deputado Tiago Mitraud (Novo-MG). A aprovação das regras mais suaves aos policiais é o assunto que mais repercute nesta manhã no Twitter com a hashtag #PSLTraidor em primeiro lugar. As deputadas Carla Zambelli (PSL-SP) e a líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP) são os principais alvos do movimento. Elas justificam o voto do PSL a favor da mudança pela fidelidade à orientação do governo, sendo o presidente Jair Bolsonaro o principal entusiasta.

Tudo o que sabemos sobre:

Novoprevidência