Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Novo tipo de ‘pianista’ irrita oposição na Câmara

Gustavo Zucchi

Deputados da oposição estão indignados com o surgimento de um novo tipo de “pianista” na Câmara. Nesta terça-feira, nas listas de oradores para os debate no plenário da Casa, apareceram os nomes de vários deputados do PSL assinados com a mesma letra. Além de uma fraude, já que não é permitido que deputados assinem pelos outros, isso atrapalharia o debate e o direto ao contraditório. “É uma forma do governo tomar na marra o controle da sessão”, explicou o deputado Dagoberto Nogueira (PDT-MS).  Na folha de inscrições que o BR18 teve acesso, cinco deputados do PSL aparecem em sequência, todos assinados com a mesma letra: Carla Zambelli, Alexandre Frota, Coronel Tadeu, Coronel Chrisóstomo e Daniel Silveira.

A oposição promete levar o caso ao Conselho de Ética da Câmara, lembrando que “pianistas” já foram cassados em outros carnavais. “A falta de decoro é muito mais evidente. Isso altera o funcionamento da Casa”, afirmou o pedetista. Para quem não lembra, “pianistas” são chamados os deputados que votavam por colegas ausentes. O último caso foi em 1998, quando  José Borba (PTB-PR) foi flagrado votando por Valdomiro Meger (PFL-PR) em três ocasiões. A CCJ chegou a aprovar a cassação de ambos, mas o caso nunca chegou ao plenário. “Se o presidente (Rodrigo Maia) não tomar nenhuma medida, isso vai virar moda. Já é um desgoverno no Executivo, não pode chegar também no Legislativo”, disse Nogueira. Hoje no plenário, a deputada Geovania de Sá, que conduzia a sessão, ao ser avisada do caso, disse que “não houve má fé” e prometeu levar a situação ao conhecimento de Maia.