Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

O apetite de Alcolumbre por doação empresarial de campanha

Luiza Ferreira

O projeto de novas regras para o fundo eleitoral despertou aqueles que nunca engoliram o fim do financiamento empresarial de campanha. Nesta quinta-feira, 19, por exemplo, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) desengasgou o apetite pela volta das doações empresariais. Segundo ele, as eleições municipais de 2020 precisam de valores maiores do que o usado no pleito presidencial em 2018. “Diante do debate que foi estabelecido e essa limitação, este momento que estamos vivendo, acho que isso, naturalmente, vai acontecer sobre o financiamento privado das eleições, com ressalvas”, chutou. 

O fundo eleitoral foi criado em 2017 como resposta a uma decisão de 2015 do STF, que proibiu doações de empresas privadas a campanhas e políticos. “É de rigor, pois, a meu juízo, concluir que a influência do poder econômico culmina por transformar o processo eleitoral em jogo político de cartas marcadas”, votou a ministra Rosa Weber à época. 

Vários partidos foram abertamente contra o veto do STF. “O PSDB é favorável ao financiamento de empresas privadas. Lembra que a última vez no sistema eleitoral brasileiro em que foi proibida a participação de empresas privadas foi na eleição de 1989, com a eleição do presidente Collor, foi quando surgiu PC Farias e o resto da história o Brasil conhece”, afirmou o deputado Bruno Araújo (PSDB-PE), hoje presidente nacional da legenda. 

Para conter escândalos de corrupção do tipo, Alcolumbre sugeriu criar “amarras”, sem especificar de que natureza. “Não pode fazer financiamento de campanha todo ele criminoso. Se acontecer os equívocos, podemos colocar as amarras para corrigir os equívocos”. Segundo o Broadcast Político, uma das soluções propostas pelo presidente do Senado foi proibir a doação por empresas que tenham contratos com o governo. Em seus anos de existência, o financiamento empresarial de campanha concentrou as maiores fatias originárias de poucos doadores em poucos candidatos.

Tudo o que sabemos sobre:

Fundo EleitoralDavi Alcolumbre