Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Polêmica com a Globo sobre 1964

José Fucs

Como já havia acontecido em sua participação no Roda Viva, o presidenciável Jair Bolsonaro voltou a mencionar no Central das Eleições, da GloboNews, na sexta-feira, 3, um editorial do jornal O Globo, escrito em 1984 pelo jornalista Roberto Marinho (1904-2003), então comandante do Grupo Globo. A menção ao editorial, no qual Marinho defende a “Revolução de 1964” e justifica o apoio ao movimento, aconteceu em resposta a uma pergunta do jornalista Roberto D’Avila questionando JB por sua negação de que tenha havido ditadura militar no Brasil.

Depois, ao final, quando a apresentadora Miriam Leitão já havia encerrado formalmente o programa, ela pediu aos participantes para aguardar e leu trechos de editorial de publicado em 2013 pelo Globo, a partir de informações recebidas pelo “ponto” da emissora. No editorial lido pela jornalista, os herdeiros de Marinho fizeram uma “autocrítica” sobre a posição do grupo em relação ao regime militar e defenderam a democracia. O episódio se tornou um dos temas mais abordados nas redes sociais depois da entrevista. / J.F.

Tudo o que sabemos sobre:

BolsonarogloboRoberto MarinhoMilitares