por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

O fim da hegemonia do MDB no Senado

Marcelo de Moraes

Não é exagero afirmar que o Senado era uma Casa controlada pelo MDB. Desde 2001, o partido vinha enfileirando presidentes em sequência, com uma breve interrupção em 2007. Na ocasião, o petista Tião Viana assumiu interinamente o posto depois que Renan Calheiros precisou se afastar do cargo por causa das pressões causadas pelo aparecimento de denúncias contra ele. Mas, rapidamente, foi substituído por outro presidente do MDB, o senador Ramez Tebet, que já faleceu.

Com a desistência de Renan, o ciclo de hegemonia do MDB fica interrompido. Para piorar a situação, o partido, que sempre teve bancadas muito grandes, tem pela primeira vez um grupo reduzido de parlamentares – embora ainda seja a maior bancada do Senado, com 13 integrantes – no Congresso, o que dificulta seu fortalecimento. /M.M.

Tudo o que sabemos sobre:

MDBsenado