Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

O gol de Bolsonaro com o Judiciário

Marcelo de Moraes

O governo de Jair Bolsonaro poderá colher os frutos da decisão tomada pelo Supremo Tribunal Federal de liberar a venda de subsidiárias das estatais sem precisar autorização do Congresso. Em sua coluna no Estadão, Eliane Cantanhêde considera que o presidente “marcou um gol no Judiciário” com essa decisão.

“Apesar de relações instáveis e oscilantes com o Legislativo, o presidente Jair Bolsonaro marcou um gol no Judiciário: a licença dada pelo Supremo para que as empresas e bancos estatais vendam ativos sem licitação e sem consultar o Congresso. E, como disse o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, não foi uma vitória só do governo, mas do Brasil”, escreve. E acrescenta: “Privatizações e concessões à iniciativa privada são um dos pilares da política do ministro Paulo Guedes, que, de um lado, joga todas as fichas na reforma da Previdência para detonar o déficit público e, de outro, articula uma abertura crescente ao capital privado para aquecer a economia, retomar investimentos, gerar empregos e renda. Quem insiste no Estado como único propulsor do desenvolvimento é só por ideologia, não por inteligência”, diz Eliane.

Tudo o que sabemos sobre:

privatizaçõesEliane Cantanhêde