Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

O palpiteiro do Planalto

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Autorizado pela Justiça a viajar em missão humanitária ao Líbano, o ex-presidente Michel Temer afirmou na manhã desta terça-feira, 11, que tem “as melhores relações com o país”. O emedebista anunciou que amanhã o governo encaminhará, por aviões, seis toneladas de alimentos e medicamentos e na sequência, por via marítima, 4 mil toneladas de arroz.

O ex-presidente Michel Temer

O ex-presidente Michel Temer Foto: Tiago Queiroz/Estadão

Em entrevista à rádio CBN, o ex-presidente falou ainda sobre os palpites que tem dado ao presidente Jair Bolsonaro.“Eu tento quebrar uma regra muito comum no Brasil: quando se está fora do governo, se tenta destruir o que está no poder”, disse. E completou: “Evidentemente que, quando me pedem palpites, eu dou”.

A nomeação de Temer para chefiar a comitiva humanitária foi vista como um agradecimento de Bolsonaro pelos conselhos recebidos e um passo do atual presidente na direção do MDB.

Sobre a necessidade de pedir autorização para a viagem, Temer disse ter “a mais absoluta convicção da lisura” nos procedimentos do governo enquanto esteve na Presidência. Após pedido da defesa de Temer, o  juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, autorizou que o ex-presidente, que é réu em desdobramentos da Operação Lava Jato, chefie a comitiva.

 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

Michel TemerpalpiteLíbanoJair Bolsonaro