Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

OEA questiona estudo que descarta fraude em eleição boliviana

Equipe BR Político

A OEA, em resposta a um artigo assinado por dois pesquisadores do Massachusetts Institute of Technology (MIT) e publicado no jornal americano Washington Post no qual eles questionam a auditoria realizada pela OEA nas eleições na Bolívia, afirmou que o artigo “não é honesto, nem baseado em fatos, nem exaustivo”. “Sobretudo, não é científico”. O comunicado foi publicado na última quinta-feira, 28, e reproduzido no Twitter do órgão.

Foto: REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

A indicação de que houve fraude na eleição motivou uma crise política e social na Bolívia, e levou, inclusive, à fuga do presidente Evo Morales para o México. Atualmente, o líder de esquerda se encontra asilado na Argentina.

No texto, os pesquisadores John Curiel e Jack R. Williams, membros do MIT Election Data and Science Lab (laboratório de ciência e dados de eleições), afirmaram não haver “evidência estatística de fraude”. O estudo dos pesquisadores foi feito apenas tendo como base as contagens estatísticas, sem acesso aos votos reais.

Na resposta, a OEA afirmou que “a análise estatística dos resultados é apenas uma das provas” citadas pelo relatório, que também inclui falsificação de assinaturas, desvio de dados dos votos para dois servidores não autorizados, inconsistências nos números de votos coletados e indícios de que registros eleitorais foram desviados durante o transporte.

Tudo o que sabemos sobre:

OEAMITBolíviaeleição