Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Olavistas já queimam ministro da Educação

Vera Magalhães

Exclusivo para assinantes

Se depender dos olavistas, Renato Feder nem chegará a ter a nomeação para o Ministério da Educação publicada no Diário Oficial da União. Tão logo foi confirmada a indicação do atual secretário de Educação do Paraná para o MEC, os principais expoentes do olavismo, que vinha dando as cartas na pasta nas gestões Vellez Rodriguez e Weintraub, começaram uma artilharia pesada contra Feder.

Renato Feder

Renato Feder Foto: Governo do Estado do Paraná

O comandante da estratégia é Silvio Grimaldo, que pilota juntamente com o guru da Virgínia o site bolsolavista Brasil de Fato e está à frente de várias pequenas editoras com interesses comerciais no MEC. Ironicamente, uma de suas críticas a Feder é justamente o fato de ser empresário e ligado à Fundação Lemann.

“Se o Jair Bolsonaro entregar o MEC para isso daí, melhor apagar aquele discurso bonito na ONU”, postou o principal pupilo de Olavo.

Grimaldo não é só um seguidor fervoroso de Olavo. É o responsável pelas intermediações dele com a CEDET, editora que abriga vários selos, inclusive alguns voltados ao segmento educacional. A empresa também administra livrarias dos principais expoentes do bolsolavismo nas redes. A venda de livros on-line passou a ser uma fonte de renda para os seguidores do autointitulado filósofo.

 

Tudo o que sabemos sobre:

renato federMEColavismo