Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

OMS pede o fim do ‘nacionalismo da vacina’ contra covid-19

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, pediu o fim, nesta terça-feira, 18, do que chamou de “nacionalismo da vacina” contra covid-19. Ele afirmou ainda que enviou “uma carta a todos os Estados membros para encorajá-los” a aderir ao futuro sistema de acesso global à vacina contra o novo coronavírus, conhecido como Covax.

Diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus. Foto: Reprodução/Twitter

Na crítica, Tedros afirma que os países que trabalham por seus próprios interesses estão piorando a pandemia. Segundo ele, a busca pelo medicamento precisa ser conjunta, como o trabalho de uma “orquestra”. Autoridades de diversos países, inclusive do Brasil, têm usado a busca por um remédio imunizante como ferramenta política.

“(Agir) estrategicamente e globalmente é, na verdade, do interesse nacional de cada país. Ninguém está seguro até que todos estejam seguros”, afirmou em coletiva de imprensa remota.

Já o assessor sênior do diretor-geral da OMS, Bruce Aylward, lembrou que a existência de uma vacina pode não ser o suficiente para garantir proteção a todos que receberem. “Se nós chegarmos a 50% de taxa de imunização, chegamos lá? Não. Não podemos confundir a cobertura de vacinação com a proporção da população que está imune. Porque a vacina pode funcionar em 80%, 50%, 60% das pessoas”, lembrou Aylward.

Nas últimas 24h, a organização registrou 206.440 novos casos, totalizando 21.756.357 pacientes infectados pela covid-19 e 771.635 óbitos.

https://twitter.com/WHO/status/1295667258346225665