Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Cuba sobre discurso de Bolsonaro: ‘Ele está delirando’

Equipe BR Político

O ministro das Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodríguez, respondeu às críticas do presidente Jair Bolsonaro durante o discurso na 74ª Assembleia-Geral da ONU, em Nova York, nesta terça-feira, 24. De acordo com o chanceler cubano, o presidente do Brasil sofre de “delírio” e tem “saudade dos tempos da ditadura militar”.

Bruno Rodríguez, chanceler de Cuba em conferência

Bruno Rodríguez, chanceler de Cuba em conferência. Foto: Yamil Lage/AFP

“Eu rejeito categoricamente as calúnias de Bolsonaro sobre Cuba. Ele está delirando e anseia pelos tempos da ditadura militar. Ele deveria cuidar da corrupção de seu sistema de Justiça, governo e família. Ele é o campeão do aumento da desigualdade no Brasil”, escreveu Rodríguez no Twitter.

O discurso do presidente brasileiro teve menções diretas a Cuba logo nos primeiros minutos. Bolsonaro acusou o governo cubano de enviar profissionais em situação de irregularidade para o programa Mais Médicos, que classificou como “trabalho escravo” com respaldo de entidades de direitos humanos do Brasil e da própria ONU.  O que é uma inverdade, já que a Lei 12.871/2013, que instituiu e regulava o programa Mais Médicos, exigia que todos os profissionais formados no exterior – incluindo os cubanos – apresentassem “diploma expedido por instituição de educação superior estrangeira” e “habilitação para o exercício da Medicina no país de sua formação”.

Ao longo da fala, Bolsonaro também atacou a Venezuela, afirmando que o país experimenta hoje “a crueldade do socialismo”, e ressaltou o estreitamento de laços com o governo do presidente dos EUA, Donald Trump, destacando a cooperação militar e econômica entre os países.