Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

‘Operação de guerra’ agora contra garimpeiros ‘é impossível’, diz Moraes

Alexandra Martins

Exclusivo para assinantes

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, votou nesta quarta, 5, a favor da medida cautelar deferida pelo ministro Luís Roberto Barroso no início do mês para adoção de diversas medidas de combater ao avanço da covid-19 sobre os povos indígenas. Assim como o colega, Moraes destacou a complexidade da remoção dos invasores das sete terras indígenas em questão. O magistrado alegou que os garimpeiros se instalam nas reservas com suas famílias. “Há crianças”, citou.

O minsitro do STF Alexandre de Moraes

O ministro do STF Alexandre de Moraes. Foto: Carlos Moura/SCO/STF

“Não existe a mínima possibilidade de a Polícia Federal, sozinha, realizar, acabar com essas invasões”, disse ele, acrescentando que essa “operação de guerra” necessitaria uma grande estrutura logística e humana. Moraes elencou as “centenas ou milhares” de policiais locais, psicólogos, assistentes sociais, médicos e até o conselho tutelar para a desintrusão. “Nesse momento de pandemia, não me parece estarem presentes os recursos necessários” para a remoção requerida na ADPF ajuizada pela Apib (Articulação dos Povos Indígenas do Brasil) e pelos partidos PSB, PSOL, PCdoB, Rede, PT e PDT. “Parece que basta chegar as Forças Armadas, se retira e acabou”, disse. O ministro Edson Fachin foi na direção oposta. É preciso que os invasores sejam removidos o quanto antes, discordou.

No final, por unanimidade, os ministros votaram para que o governo federal adote as medidas para conter o avanço da covid-19 entre os povos indígenas.

Tudo o que sabemos sobre:

Terras indígenas