Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

‘Operador’ de Pastor Everaldo, Victor Barroso se entrega à PF

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Apontado como operador financeiro do presidente do PSC, Pastor Everaldo, Victor Hugo Amaral Cavalcante Barroso se entregou na noite de domingo, 30, à Polícia Federal no aeroporto Salgado Filho de Porto Alegre. Pastor Everaldo é acusado de chefiar um dos três grupos ocultos instalados na máquina pública para desviar recursos e se beneficiar sistematicamente de contratações irregulares do governo. O líder religioso que batizou o presidente Jair Bolsonaro no rio Jordão foi um dos presos na operação.

Foto: Reprodução/MPF

Segundo o Ministério Público Federal, Barroso seria encarregado de cooptar agentes públicos e privados, indicar as organizações sociais que deveriam ser contratadas pelo governo e cuidar da contabilidade dos desvios. Para isso, teria sido montado um “sistema financeiro paralelo”.

“Victor Hugo Barroso criou uma complexa organização de pessoas jurídicas, que indicam a estruturação de “camadas” de ocultação de valores, também típica de lavagem de dinheiro, onde as transações financeiras se misturam, dificultando a rastreabilidade”, diz a Procuradoria.

Na lavagem de dinheiro, o grupo usou a transportadora de valores Fênixx, constituída por Barroso em sociedade com o secretário de Cidades, Juarez Fialho, para guardar os valores desviados em carros-fortes, segundo o MP, repetindo o sistema usado pelo ex-governador Sérgio Cabral.

Além disso, as offshores Tremezzo S/A, Firbank Croporation e South America Properties LLC, registradas em nome do operador, de sua mãe e irmã no Uruguai, serviriam para remessas de dinheiro ao exterior.