Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Opinião Ideia Big Data: 2020, agora vai?

Equipe BR Político

Por Mauricio Moura

O calendário do homem moderno é baseado no calendário Juliano – Imperador Romano, produzido 46 anos depois de Cristo e depois modificado pelo papa Gregório XIII em 1582. Até hoje é utilizado pelos países do ocidente e obedecido por quase todos os países do mundo. A beleza desse calendário é que uma simples convenção numérica tem o poder de renovar as esperanças das pessoas e criar a sensação de um dia para outro que tudo pode ser diferente. Para o Brasil, o País do futuro que nunca parece chegar, é mais uma oportunidade de retroalimentar as expectativas de um futuro melhor.

E para compreender melhor tais expectativas, o Ideia Big Data realizou uma pesquisa nacional com 1.549 entrevistados entre os dias 22 e 26 de dezembro. Os resultados corroboram a fama de otimistas dos brasileiros. Será que para os brasileiros, agora vai?

A comparação entre o ano de 2019 em relação à 2018 apontou um crescimento positivo na opinião pública quando se analisa a situação pessoal em comparação com o contexto do País e do mundo, de uma forma geral. Entre os entrevistados, 48% das pessoas afirmam que suas vidas melhoraram, ao passo que o mundo melhorou para 36% e o Brasil 40%. Isso é consistente com pesquisas de anos anteriores. Tais constantemente mostram a percepção brasileira de que é possível a vida pessoal estar sempre melhor que a própria situação do País.

Olhando para 2020, os dois pontos que melhor refletem o sentimento de otimismo da população são a queda do desemprego e a melhora da economia, sendo citados por aproximadamente duas em cada três pessoas. Já a possibilidade de perder um ente querido (46%) é a situação que mais preocupa a população para o próximo ano superando questões financeiras e de segurança.

Esse dado é mais um subsídio de que a economia (queda do desemprego) será uma variável fundamental para a popularidade presidencial. A opinião pública tradicionalmente dá um crédito de tempo ao presidente eleito para cobrar resultados na economia. A partir de 2020, o sentimento de esperança precisará ser traduzido em queda no desemprego e retomada mais robusta do crescimento. E, como brasileiro, estou na torcida que assim seja.

Feliz 2020 aos leitores e que o calendário juliano/gregoriano siga tendo esse poder de renovação e esperança.

Mauricio Moura: Economista, PhD em Economia e Política do Setor Público. Maurício é professor visitante na George Washington University e recebeu recentemente certificado do Programa da Owner/President Management da Universidade de Harvard. Fundador e Presidente do Ideia Big Data.

Tudo o que sabemos sobre:

2020Ideia Big Data