Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Os danos a uma velha amizade

Equipe BR Político

O repórter especial Roberto Godoy, especialista em questões militares, escreve análise no Estadão desta quarta-feira a respeito do potencial de estrago causado pelas críticas feitas por Carlos Bolsonaro ao Gabinete de Segurança Institucional, comandado pelo general Augusto Heleno, um dos amigos mais antigos e próximos do presidente Jair Bolsonaro. Para Godoy, o filho do presidente erra ao atribuir ao GSI a falha que resultou no embarque de um militar com 39 kg de cocaína num avião presidencial para a Espanha.

“O dano político, entretanto, está feito. Heleno, 71 anos, é um militar intelectualizado e um bom analista. Tem o respeito da tropa pela experiência em combate real com o efetivo da ONU no Haiti, em 2005. Levado pelo presidente para o Palácio no primeiro dia da administração, o general encara a participação no governo como missão. Na área, é um conceito que não admite concessões”, escreve.