Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Os depoimentos na semana decisiva à investigação sobre interferência na PF 

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

A semana será marcada pelos depoimentos à investigação que corre no Supremo Tribunal Federal sobre as acusações do ex-ministro Sérgio Moro de que o presidente Jair Bolsonaro tentou interferir politicamente na Polícia Federal. Nesta tarde de segunda-feira, 11, é a vez do diretor-geral da Abin, que teve sua nomeação para a PF suspensa, Alexandre Ramagem, e do ex-superintendente da Polícia Federal no Rio de Janeiro Ricardo Saadi, em Brasília.

De manhã, quem falou foi o ex-diretor-geral da PF exonerado por Bolsonaro Maurício Valeixo, na Superintendência do órgão em Curitiba. Durante a semana, mais depoimentos centrais para o inquérito de ministros e aliados do presidente ocorrerão. Confira, abaixo, o calendário de testemunhos da investigação na semana.

O ex-minsitro Sérgio Moro e o presidente Jair Bolsonaro

O ex-minsitro Sérgio Moro e o presidente Jair Bolsonaro Foto: Isaac Amorim/MJSP

Ministros militares

Na terça-feira, 12, os ministros do Planalto Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional; Braga Netto, da Casa Civil; e Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, que compõem o núcleo militar do governo, prestarão depoimento no Palácio do Planalto simultaneamente e separadamente, às 15h. A estratégia tenta impedir a combinação de versões entre os ministros.

Delegados da PF

Outros três delegados da PF também prestarão depoimento na terça-feira. Além do ex-superintendente no Rio de Janeiro Carlos Henrique de Oliveira Souza, que trocou de cargo na instituição após a posse do novo diretor-geral, Rolando Alexandre, prestarão depoimento o ex-superintendente no Amazonas Alexandre da Silva Saraiva e em Minas Gerais Rodrigo de Melo Teixeira. Souza e Saraiva devem ser ouvidos a partir das 15h, na sede da PF em Brasília. Teixeira também falará às 15h, mas o local ainda não foi definido.

Deputada bolsonarista

A deputada Carla Zambelli (PSL-SP) que tentou convencer Moro a aceitar a troca na PF irá depor na quarta-feira, 13. Além de tentar persuadir Moro, Zambelli, em trocas de mensagens divulgadas pelo ex-ministro e pela própria deputada, mencionou uma possível indicação de Moro ao STF caso aceitasse a demissão de Valeixo.