Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Pacote de reformas ‘pós-Previdência’ vai vir desidratado?

Equipe BR Político

O governo está cauteloso com relação à agenda de reformas pós-aprovação da nova Previdência, especialmente com relação às mudanças das regras para servidores públicos (reforma administrativa). De acordo com o Estadão, a equipe econômica do governo está sofrendo pressões de vários grupos, o que pode desidratar desde o início as reformas pretendidas.

Como você já viu aqui no BRP, a reforma administrativa é uma das próximas pautas do governo, e a expectativa é que seja incluída no pacote de reformas que será enviado a partir desta quarta-feira, 30, ao Congresso. O texto, no entanto, ainda não foi apresentado. O presidente Jair Bolsonaro pediu à equipe econômica cautela com relação ao tema. Segundo nota divulgada pelo Ministério da Economia, o texto elaborado “tem como premissa a manutenção da estabilidade, do emprego e do salário dos atuais servidores.”

Já as novas regras para o Fundeb, reivindicadas por parlamentares e pelos Estados, deve ficar de fora da próxima remessa de propostas do governo ao Legislativo. Mudanças no abono salarial e a proposta de desvinculação dos fundos constitucionais também vão ter que aguardar. O líder do PSL no Senado, senador Major Olímpio (SP), reclamou da demora no andamento das pautas. “Paulo Guedes (ministro da Economia) é muito capaz, mas eles entendem pouco de ritmo do Congresso. Quando se desconsidera, só essa coisinha chamada Congresso, diz ‘semana que vem eu mando o pacote, eles se virem para votar até 21 de dezembro’… Vamos ver qual é o conteúdo.”