Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Pantanal em estado de emergência por incêndios criminosos

Equipe BR Político

Em meio às manifestações da Greve Geral pelo Clima, que ocorrem em mais de 130 países nesta sexta-feira, 20, a WWF-Brasil no Pantanal classificou como situação de emergência o estrago provocado pelas queimadas no Pantanal brasileiro. Em agosto, os focos de incêndio na região quase quadruplicaram na comparação com o mesmo mês em 2018. Segundo a ONG, cerca de 90% desses focos são criminosos. Os dados mostram que, mesmo sem ter terminado, 2019 é o ano com maior número de queimadas no bioma desde 2012.

Desde o início do ano, foram detectados 3.679 incêndios na região. Desse total, 1.690 ocorreram em agosto, 1.495 nos primeiros 13 dias de setembro e 494 nos outros meses do ano.

Fonte: WWF Brasil

Agosto e setembro tendem a registrar maiores focos de fogo por serem meses de estação seca. Por isso, a tendência é que os números aumentem ainda mais até o fim de setembro. A situação levou o governo do Mato Grosso do Sul, Estado brasileiro que abriga a maior parte do bioma, a declarar estado de emergência.

Como o Pantanal também abrange áreas no Paraguai e na Bolívia, a rede internacional de ONGs Observatório do Pantanal, que também emitiu um documento a respeito da situação do bioma, recomenda ativar o Protocolo de Cooperação e Assistência de Emergência Ambiental do Mercosul, que oferece assistência regional aos países membros do bloco em caso de incêndios florestais. O protocolo também estabelece que, no caso de emergência ambiental em um dos membros, os outros Estados devem ser avisados para, inclusive, impedir que a situação se alastre até seus territórios. “O que a gente discute é justamente a falta de um sistema de alerta, de monitoramento para que o próprio aparato dos Estados pudesse perceber com antecipação uma situação do tipo. O que temos hoje é muito precário”, diz Rafaela Nicola , diretora da Wetlands Internacional no Brasil, ao BRP.

Segundo Nicola, a necessidade de um sistema de monitoramento, que pudesse mobilizar uma ação rápida de Estados em emergências do tipo, é observada há alguns anos. No entanto, ela afirma que o problema dos incêndios se agravou em 2019. “Essa situação toda foi intensificada mais recentemente. Isso não há duvidas. É alarmante pensar que 10% do Pantanal pegou fogo”, disse.

A região do Pantanal é considerada um Patrimônio Natural Mundial pela UNESCO. O bioma também é considerado uma das maiores extensões úmidas contínuas do planeta.

Tudo o que sabemos sobre:

pantanalcrise ambientalqueimadas