Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Papa mobiliza oposição com vídeo sobre isenção jurídica

Equipe BR Político

O papa Francisco publicou um vídeo em sua conta de Twitter nesta manhã de quinta, 4, com mensagem sobre a importância da imparcialidade jurídica. Ato seguinte, a oposição associou o conteúdo ao ex-juiz Sérgio Moro, alvo recente de vazamentos pelo site The Intercept Brasil. Fernando Haddad destacou a parte em que o argentino diz que juízes não deveriam “negociar nunca a verdade”. A deputada Gleisi Hoffmann (PR) fez relação com “as injustiças cometidas contra o presidente Lula”. O deputado José Guimarães (PT-CE) questionou: “Moro vai pedir para a PF acionar o COAF para intimidar o Papa também?”, em referência ao pedido da Polícia Federal para que o órgão de inteligência financeira investigue dados financeiros do dono do Intercept. Outro petista, Paulo Pimenta (RS), também disse que o recado do papa era para Moro.

O juiz Marcelo Bretas, da Lava Jato no Rio de Janeiro, fez uma tradução livre da mensagem papal: “A independência dos Juízes serve para afastá-los de favorecimentos e de pressões em suas decisões”. O pontífice afirma no vídeo: “Dos juízes dependem decisões que influenciam os direitos e os bens das pessoas. Sua independência deve ajudá-los a serem isentos de favoritismo, das pressões às quais podem contaminar as decisões que eles têm que tomar. Os juízes hão de seguir o exemplo de Jesus, que não negocia nunca a verdade. Rezemos para que todos aqueles que administram a justiça trabalhem com integridade e para que a injustiça que atravessa o mundo não tenha a última palavra”.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Papasergio moro