Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Para Bolsonaro, jogo de azar é com o Congresso

Equipe BR Político

Em que pese seu apoio nos bastidores à proposta de legalizar o jogo de azar no Brasil, o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta noite de quinta, 25, que essa possibilidade está nas mãos do Legislativo ao justificar a posição contrária da Advocacia-Geral da União à legalização da contravenção diante de um julgamento sobre a questão. “Nosso advogado partiu para apresentar sua posição, mas nada imposto. O mais importante, se tiver que deixar que seja contravenção, que seja feito pela Câmara e pelo Senado”, disse o presidente na live.

Já o advogado-geral da União, André Medonça, foi bem mais taxativo: “O jogo de azar é porta de entrada para a lavagem de dinheiro, atividades ilícitas, ocultação de patrimônio. Um outro aspecto é que gera o vício. Nós não podemos aceitar que o jogo venha ser lícito. E foi a isso que nos opusemos (no julgamento)”.

Tudo o que sabemos sobre:

AGUjogo de azarAndré Mendonça