Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Para Bolsonaro, vídeo é ‘ultima cartada midiática’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O presidente Jair Bolsonaro minimizou o conteúdo do vídeo da reunião ministerial exibido nesta manhã de terça, 12, a um restrito grupo de pessoas autorizadas pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Celso de Mello, relator do inquérito sobre suposta tentativa de interferência política do chefe do Planalto na Polícia Federal, segundo acusações feitas pelo ex-ministro Sérgio Moro. “Esse vídeo é a última cartada midiática usando da falácia e mentira para falar que eu interferi na Polícia Federal”, afirmou Bolsonaro em conversa com a imprensa, na rampa do Palácio do Planalto. Segundo ele, não há menção na gravação às palavras “investigação, “Polícia Federal” ou “superintendência”, em referência à suposta tentativa dele de trocar também as chefias das superintendências da PF no Rio e em Pernambuco.

O presidente Jair Bolsonaro respondendo a inferências sobre a reunião ministerial nesta terça-feira

O presidente Jair Bolsonaro respondendo a inferências sobre a reunião ministerial nesta terça-feira Foto: Reprodução/CNN

Após a exibição, o advogado de Moro, Rodrigo Sánchez Rios, afirmou que o material “confirma integralmente” as declarações dadas pelo ex-juiz tanto no anúncio de sua demissão quanto no depoimento prestado à Polícia Federal no último dia 2. De acordo com o Estadão, investigadores presentes na sessão avaliaram que o conteúdo da gravação é “devastador” para o presidente. O jornal O Globo afirma que Bolsonaro defende no vídeo a ideia de trocar delegados para evitar que familiares e amigos fossem “prejudicados”.

Tudo o que sabemos sobre:

vídeoJair BolsonaroSTFsergio mororeunião