Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Para Ciro, endividamento das pessoas está virando ‘nova escravidão’

Marcelo de Moraes

Exclusivo para assinantes

Bastante duro na sua fala, Ciro Gomes (PDT) não teve dúvidas em comparar a situação provocada pelo endividamento das pessoas a uma espécie de “nova escravidão”. Terceiro colocado na disputa presidencial do ano passado, Ciro participou ontem de audiência pública na Câmara, na Comissão destinada a analisar o superendividamento do consumidor. Foi justamente esse tema um dos principais motes – e o mais bem-sucedido – de sua campanha para o Planalto.

“Vossas excelências estão tratando aqui da nova escravidão. Que é esse nível de endividamento e a forma com que ele submete as imensas massas populares para preencher uma ficha de emprego, para ir ao Serasa, ao SPC, negociar humilhado, reestruturar sua dívida, pagar uma prestação, dar baixa no nome, faz a ficha de emprego para tentar desesperadamente conseguir um e depois entra na inadimplência novamente”, disse Ciro, descrevendo o ciclo que vê as pessoas endividadas tendo de enfrentar para tentar pagar seus débitos.

Na visão de Ciro, enquanto essa situação persistir, não existe possibilidade de a economia do País recuperar seu crescimento. “É completamente ilusória, para não dizer mentirosa, qualquer conversa de retomada de crescimento econômico com esse nível de endividamento familiar e empresarial no Brasil. E a oligopolização do setor financeiro privado diz que não será a iniciativa privada que vai resolver essa questão”, afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:

Ciro GomesSPC