Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Para Delfim, ‘deixamos de piorar’ com PIB 0,4% maior

Equipe BR Político

Diante da variação positiva de 0,4% do PIB no segundo trimestre em relação aos três primeiros meses do ano, o ex-ministro da Fazenda Antônio Delfim Netto avalia os números com cautela, em entrevista a Veja. Para ele, apesar do “alívio” sentido pelos investidores e pelo governo e do afastamento da recessão técnica, a escalada ainda é tímida. “Desde 2016 continua a mesma coisa: deixamos de piorar”, analisa Delfim. “Um crescimento de 1% no PIB em relação ao mesmo período do ano passado significa uma alta de entre 0,2% e 0,3% per capita. Uma tragédia diante do desemprego amazônico que enfrentamos”.

Foto: Hélvio Romero/Estadão

Apesar de qualificar as reformas tributárias e da Previdência como “importantíssimas”, o ex-ministro também avalia que são insuficientes para a retomada dos investimentos. Sobre os efeitos das mudanças previdenciárias, afirma que “são nulos nos próximos três anos”. Segundo sua avaliação, o País só voltará a crescer com investimentos e exportações, prejudicados pelo embate de tarifas protagonizado por Estados Unidos e China.

Assine o BR Político para ter acesso a produtos e informações exclusivos. Clique neste link para se tornar um assinante.

Tudo o que sabemos sobre:

Delfim NettoPIBcrescimentoEconomia