Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Para Ernesto, ‘Bolívia democrática’ pode ser membro do Mercosul

Marcelo de Moraes

Exclusivo para assinantes

Durante audiência pública na Comissão de Defesa e de Relações Exteriores do Senado, nesta quinta, o ministro Ernesto Araújo admitiu a possibilidade de o Brasil vir a apoiar a entrada de “uma Bolívia plenamente democrática” como membro permanente no Mercosul. Desde a queda de Evo Morález, a Bolívia vem sendo presidida pela senadora Jeanine Añez de linha conservadora, o que explica a simpatia do chanceler pela ideia de entrada do país no bloco.

“Acreditamos que seria muito positivo, seria importante que o Mercosul fosse visto como um elemento para consolidar a democracia na Bolívia. Achamos que a Bolívia está num bom caminho, com a realização próxima de eleições, eleições limpas, e uma Bolívia plenamente democrática pode ser um membro muito importante, novo, do Mercosul. Assim como a Venezuela é membro do Mercosul, está suspensa, mas o dia em que voltar a ser um país democrático, certamente parte disso será o retorno ao Mercosul”, explicou Ernesto aos senadores.

Tudo o que sabemos sobre:

BolíviaMercosulErnesto Araújo