Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Para evitar greve, governo suspende tabela de frete

Equipe BR Político

Após pressão dos caminhoneiros, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, suspendeu provisoriamente nesta segunda-feira, 22, a tabela de preços mínimos do frete rodoviário. Oficialmente, ele pediu à ANTT que delibere sobre sua decisão. O novo tabelamento revoltou os caminhoneiros, que ameaçaram fazer novas paralisações. Em mensagem enviada à categoria, o ministro já havia adiantado a medida. A nova resolução previa que 11 categorias de cargas seriam usadas no cálculo do frete mínimo e ampliava os itens considerados no cálculo. Além da distância percorrida, o cálculo do frete mínimo também considerava o tempo de carga e descarga do caminhão, custo com depreciação do veículo, remuneração do caminhoneiro, impostos, entre outros.

No ofício, o ministro argumenta que foi observada “uma insatisfação em parcela significativa dos agentes de transporte” e que “diferenças conceituais quanto ao valor do frete e o piso mínimo que pode repercutir na remuneração final dos caminhoneiros” devem ser novamente discutidas com a categoria. “O diálogo segue sendo o principal mecanismo com o qual vamos buscar o consenso no setor de transportes de cargas. Por isso a importância em dar continuidade às reuniões. Estamos desde o início do ano com as portas abertas no ministério e esta tem sido a melhor forma de dar transparências às decisões que estão sendo tomadas em conjunto”, disse, em nota, Freitas.