Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Para FHC, futuro dos partidos está ligado à presença nas redes

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

No mundo pós-pandemia, em que as redes sociais vão ocupar um espaço ainda maior na vida das pessoas, os partidos políticos, se quiserem estar dentro do jogo, precisam estar conectados. Essa foi a avaliação do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, nesta quinta-feira, 3, em transmissão ao vivo pelo canal de Youtube do PSDB.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso Foto: Alex Silva/Estadão

Segundo FHC, o futuro da sigla tucana está diretamente relacionado à presença nas redes sociais. “Estou conectado, logo existo. Se eu não estou conectado, eu não existo. Tem de estar conectado. Os partidos é a mesma coisa. Ou eles se conectam, e se conectam pelos meio modernos de comunicação, ou eles ficam fora da jogada. O governo também”, afirmou.

O exemplo dado por FHC foi a eleição do presidente Jair Bolsonaro e a sobrevivência dele como líder, mesmo estando em partido há 10 meses. “Se nós (PSDB) quisermos ter vida no futuro, nós precisamos nos adaptar aos nossos tempos”, afirmou. O tema da live organizada pelo partido era o “Brasil pós-pandemia”.

“O presidente que aí está, o Bolsonaro, ele não tem partido nenhum, ele tem uma rede. Ele ganhou, você não sabe como. Ganhou porque os filhos mexem na rede e fizeram conexões”, disse. E seguiu: “Eu não estou dizendo que é bom ou que e mal. Eu estou dizendo que é assim. Se nós quisermos dar luta, a luta tem de ser dada onde tem o outro lado, o outro lado está na rede. Senão nós vamos perder, vamos ficar com o discurso, com muitas boas ideias, mas nós não vamos chegar lá aonde nós precisamos chegar: mexer com as pessoas e fazer com que elas atuem”.

Na avaliação de FHC, a “era contemporânea”, como ele chamou, colocaram tudo em cheque, inclusive as democracias representativas.”Estamos passando por uma transição de era, ninguém vai resolver essa questão, não vai ser o PSDB nem eu, muito menos”, disse.

 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

PSDBFHCComunicaçãoredes