Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Para FHC, se Doria quer o Planalto, precisa ver Bolsonaro como adversário

Equipe BR Político

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso acha que o governador de São Paulo, João Doria, acerta ao se colocar de forma crítica ao presidente Jair Bolsonaro. Para o tucano, se Doria deseja realmente disputar a sucessão presidencial em 2022, precisa entender que Bolsonaro poderá ser seu adversário na disputa e que precisará se mostrar como uma alternativa para os eleitores. “Se o governador Doria quiser ser candidato, o Bolsonaro é adversário, não é aliado”, disse, em entrevista ao Estado.

Para o ex-presidente, há espaço no cenário político atual para construir uma candidatura de centro no Brasil. “Não há vantagem em ser velho, mas eu vivi muito. Eu vi o Brasil, num certo tempo, polarizado: Vargas ou contra Vargas. Getúlio ou anti-Getúlio. Resultou depois numa fragmentação e numa organização de um centro. Eu acho que a posição assumida pelo governo atual, no plano dos costumes, não corresponde ao sentimento da sociedade brasileira. A cultura brasileira é de muita transigência, muita acomodação. Agora na polarização, isso desaparece. É preciso voltar o pêndulo para um lugar mais adequado. Para isso, é preciso ter alguém que expresse, que fale. Na área econômica, não se pode ter uma ideia estatizante porque o País saiu dessa fase. Mas, no plano da sociedade e dos costumes, tem de olhar para a pobreza, tem de olhar para a parte mais fraca. Tem de ter políticas públicas ativas que não sejam de “esquerda”. No passado, esquerda era fácil. Era controle social dos meios de produção. Isso desapareceu. Hoje, são políticas públicas ativas em benefício da maioria”, afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:

João DoriaFHC