Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Para governador de SP, decisão sobre Witzel deveria ser de colegiado

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta sexta, 28, que a decisão monocrática do ministro Benedito Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça, que afastou o governador Wilson Witzel (PSC) do cargo por 180 dias deveria ter sido adotada pelo colegiado.

O governador de São Paulo, João Doria, em coletiva nesta segunda

O governador de São Paulo, João Doria, em coletiva nesta segunda Foto: Governo do Estado de São Paulo

“Uma decisão como essa, ao meu ver, dada a sua importância e dimensão, deveria ser adotada por um colegiado e não por um único juiz”, afirmou. “Não estou aqui para fazer juízo de valor nem juízo de mérito, mas defendo sempre que investigações e esclarecimentos de denúncias sejam feitos”, disse Doria.

Entenda a denúncia

Witzel foi afastado do cargo por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e foi denunciado, junto com a mulher e mais sete pessoas, por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa envolvendo empresas ligadas à área da saúde. A denúncia aponta pagamentos feitos por empresas ligadas a Mário Peixoto, preso na Lava Jato, e pela empresa da família de Gothardo Lopes Netto, ex-prefeito de Volta Redonda (RJ), ao escritório de advocacia da primeira-dama Helena Witzel, que “foi utilizado para escamotear o pagamento de vantagens indevidas ao governador, por meio de contratos firmados com pelo menos quatro entidades da saúde ligadas a membros da organização criminosa e recebimento de R$ 554.236,50, entre agosto de 2019 e maio de 2020”.

Tudo o que sabemos sobre:

João DoriaWilson WitzelSTJ