Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Para Ricupero, indicação de Eduardo seria ‘sem precedente’

Equipe BR Político

Crítico da atual política externa brasileira, o ex-embaixador nos Estados Unidos, o diplomata Rubens Ricupero classificou como “sem precedentes” a possível indicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para a chefia da Embaixada do Brasil em Washington. “Se trata de medida sem precedentes em nossa tradição diplomática e na história diplomática de países civilizados e democráticos”, afirmou ao Estadão. Segundo Ricupero, a nomeação de parentes próximos para funções diplomáticas é típica de “monarquias absolutas”.

Atualmente, Ricupero é professor universitário. Ele reconhece que Eduardo já atuava na prática como chanceler informal e que, agora, poderia de fato assumir um cargo diplomático. Um dos argumentos usados por apoiadores da decisão é a proximidade do possível embaixador com o pai. Mas isso causa preocupação em Ricupero. “Funções como as de embaixador devem ser institucionalizadas, e não personalizadas. Pelo motivo óbvio que, num caso como de um filho representando o próprio pai, haveria maior possibilidade de que as ações do embaixador visassem interesses pessoais e de família, não os interesses do País”.