Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Para Salim, Judiciário brasileiro dá ‘uma no prego, outra na ferradura’

Marcelo de Moraes

Exclusivo para assinantes

O ex-secretário nacional de Desestatização Salim Mattar aprovou a medida tomada pelo ministro Luís Roberto Barroso, do STF, não permitindo a diplomação de candidatos ficha-suja. Decisão liminar do ministro Kássio Nunes Marques tinha relaxado essas regras. Mas para Salim, o Judiciário só resolveu um problema criado por ele próprio.

“Correta a medida do presidente do TSE, ministro Barroso, suspendendo diplomação de candidatos fichas-sujas depois que o Ministro Kassio Nunes afrouxou as regras e encurtou o período de inelegibilidade. É o judiciário brasileiro: uma no prego outra na ferradura”, afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:

ficha-sujaSalim Mattar